Fone(99) 3525-1636

ZAP(99) 99168-5235

FIEMA reforça importância de lei para a valorização de cachaças e tiquira

A iniciativa busca valorizar a produção maranhense que contribui com a geração de emprego e para o desenvolvimento do estado

Padronizar e valorizar a produção das cachaças e tiquira maranhenses. Essa foi a pauta central da reunião de planejamento de ações de 2021, realizada na Federação das Indústrias do Estado do Maranhão (FIEMA).

Iniciado em 2018, o projeto Cartima (Cachaça Artesanal e Tiquira do Maranhão) é formado por entidades de classe, instituições governamentais e não governamentais, instituições de ensino e pesquisas e empresários com o objetivo de aperfeiçoar os métodos de produção, a formação de mão de obra, a realização de pesquisas e regulamentos para o setor, a fim de gerar oportunidades de desenvolvimento do mercado de cachaça e tiquira maranhense.

Em 2020, o Comitê Gestor do projeto – formado pelas instituições FIEMA, SINDIBEBIDAS, SEBRAE E SENAI, renovou o Termo de Cooperação para a gestão e execução até 2022, mantendo os pilares de desenvolvimento – agricultura e meio ambiente, indústria, financeiro e mercado, mas com uma nova estrutura de mensuração de resultados e acompanhamento da evolução nas unidades produtivas no Maranhão.

“Esse projeto é importante para a cadeia produtiva de bebidas do Maranhão. A FIEMA acredita no potencial do setor e na qualidade dos produtos que a cada ano vem conquistando renomados prêmios nacionais e internacionais. Hoje temos 8 cachaças e 1 tiquira, devidamente registradas s e regulamentadas junto aos órgãos competentes”, destacou Cesar Miranda, superintendente da FIEMA.

No mesmo dia, foi entregue ao deputado estadual Ariston Ribeiro a minuta de um projeto de lei, que visa o reconhecimento estadual da produção de cachaças e tiquira maranhenses por gerar inúmeros empregos e contribuir para o desenvolvimento do Estado.

GENUINAMENTE MARANHENSE – No encontro, também foi abordado sobre a campanha de mercado, que visa aproximar o setor produtivo do consumidor com oficinas temáticas realizadas com especialistas nos estabelecimentos da rede hoteleira, bares e restaurantes. Nesta ação, que conta com forte apoio Sindicato Empresarial de Hospedagem e Alimentação do Maranhão (SEHAMA) e do Sindicato de bares e restaurantes (Sindebares/Abrasel) os funcionários serão treinados para orientarem os clientes na hora da escolha de bebidas e drinks preparados com os destilados maranhenses.

“A valorização da bebida típica do nosso Estado é muito importante, pois uma vez que propiciamos essa visibilidade a tornarmos como mais um ponto de atração turística, o que proporcionará um fluxo maior de visitante para o nosso estado resultando na alavancagem dos negócios e geração de emprego no setor de turismo”, ressalta a superintendente da SEHAMA, Mary Silva.

Outra iniciativa que visa fortalecer o nome do Maranhão, entre os melhores estados com produtos de qualidade, será a ação organizada pelo projeto para o reconhecimento da tiquira como patrimônio imaterial do Estado.

As ações do Patrimônio Imaterial visam reconhecer os bens culturais intangíveis aqueles que despertam a história e a memória do nosso povo que não estão materializadas. Tem a função de fortalecer o conhecimento, os saberes tradicionais, as formas de expressão, o jeito de ser, viver e fazer do maranhense.

“O registro de patrimônio cultural e imaterial marca a história, a memória e o modo de ser e de fazer dessa população maranhense no processo produtivo tradicional e artesanal da tiquira. A secretaria está conduzindo esse processo de reconhecimento e registro como – categoria de modo de produção, atendendo um pedido do projeto Cartima por meio do Sindibebidas/MA. É uma satisfação da Secretaria de Estado da Cultura contribuir com a marca da história de vida. É um ativo turístico, cultural e econômico, a tiquira proporciona assim a cadeia produtiva uma forma de desenvolvimento socioeconômico a partir das outras instituições poderão potencializar esse produto. Queremos em 2021 finalizar o processo do modo de produção da tiquira e os atores principais: os mestres lambiqueiros. Muito feliz em ter essa parceira e em reconhecer a memória e a história desses mestres”, destacou o diretor de Patrimônio Imaterial da Secretaria Estadual de Cultura, Firmino Inácio Neto de Azile.

Parceiros como o SENAR, SENAC, IFMA, Secretaria de Estado da Cultura (SECMA), Secretaria de Estado do Turismo (SETUR), Secretaria de Estado da Agricultura (SAGRIMA), SEHAMA, (Sindebares/Abrasel) e Prefeituras também fazem parte da frente de apoio e execução do plano de ações previsto para 2021.

“Sou grato pela oportunidade que tive no desenvolvimento do meu negócio graças ao projeto CARTIMA, que foi concebido à luz do SINDIBEBIDAS/FIEMA, e por ele reafirmo a importância da sua existência. Entendo que o CARTIMA é um projeto de extrema relevância, que tem conseguido desenvolver diversos projetos junto aos produtores de um modo geral, contribuindo substancialmente para o desenvolvimento do seguimento, principalmente por possibilitarem o desenvolvimento de ações que atendem vários produtores simultaneamente, além de atender a necessidades que são comuns para a maioria. Penso que sempre podemos estar melhorando e buscando nos equiparar aos referenciais do mercado nacional”, avalia o empresário Helder Rocha, proprietário da Cachaça Guarnicê.

RECONHECIMENTO – As marcas registradas maranhenses têm buscado constantemente aperfeiçoar seus processos produtivos ao participarem dos maiores eventos do segmento, inserindo o Maranhão no mapa de produção. Entre 2018 a 2020, os produtores contabilizam diversas premiações nos maiores concursos de bebidas destiladas nacionais e internacionais com várias medalhas de ouro, prata e bronze, em países como Estados Unidos, Bélgica, além do continente asiático e nos principais concursos de bebidas no Brasil.

“A produção das bebidas, é uma atividade econômica importante para as regiões onde são produzidas, porém o setor ainda é caracterizado por uma forte desorganização e desinformação da maioria dos produtores. Por isso, o projeto atua para que haja a integração das instituições parceiras juntamente com os produtores, com diversas ações, a fim de contribuir na resolução dos entraves existentes nesse setor produtivo, declarou o presidente do Sindicato das Indústrias de Bebidas, Refrigerantes, Água Mineral e Aguardente do Estado do Maranhão (SINDIBEBIDAS), Jorge Luís Oliveira Fortes.

Informação: Fiema

®SISTEMA NATIVA DE COMUNICAÇÃO

© 2009-2020 RÁDIO NATIVA FM 99,5 - Todos Direitos Reservados. IMPERATRIZ-MA

((designer by AEHER))