Fone(99) 3525-1636

ZAP(99) 99168-5235

Brasil confirma mais de 28 mil casos e tem mortes por Covid-19 em todos os estados

Pelo segundo dia consecutivo, o Brasil registrou mais de 200 mortes diárias ligadas à Covid-19 e, nas últimas 24 horas, atingiu o pico de novos casos durante a pandemia, com 3.058 testes positivos.

Ao todo, o país tem 1.736 casos fatais e 28.320 pacientes com diagnóstico confirmado. São Paulo e Rio de Janeiro continuam concentrando os contágios, e o Tocantins registrou a primeira morte — agora, todos os estados têm óbitos por coronavírus.

Estimativas: o país pode chegar a 40.590 casos de coronavírus em dez dias, segundo projeções de grupo de pesquisadores da Fiocruz e outras instituições.

Segundo o grupo, São Paulo é o único estado do país onde o avanço da doença está abaixo do esperado, mas cientistas fazem ressalvas de que a falta de testes compromete a exatidão da análise.

O que está acontecendo: autoridades de saúde de São Paulo demonstraram preocupação com o índice de ocupação de hospitais da região do ABC paulista, que está acima de 70%.

No Rio, pesquisadores identificaram alta nas infecções entre profissionais de saúde , o que pode indicar avanço da epidemia no estado.

Mandetta rejeita demissão de secretário e sinaliza que está de saída do governo!

Em tom de despedida, o ministro Luiz Henrique Mandetta (Saúde) reconheceu, em entrevista coletiva, que há um descompasso entre o trabalho de sua equipe e a linha de ação do presidente Jair Bolsonaro e comentou abertamente a possibilidade de deixar o cargo. “O importante é que a pessoa que o presidente colocar no ministério tenha condições de trabalhar baseado na ciência, nos números e na transparência”, declarou.

Contexto: a declaração ocorreu após o ministro recusar o pedido de demissão do secretário de Vigilância em Saúde, Wanderson de Oliveira. Considerado o principal estrategista da pasta contra o novo coronavírus, Wanderson participou da entrevista e permanecerá no posto. “Vamos trabalhar juntos até o momento de sairmos juntos”, afirmou Mandetta.

Bastidores: mais cedo, o ministro sinalizou sua saída e se despediu de deputados da frente parlamentar da saúde. Mandetta indicou apoio a um eventual sucessor: “Tenho certeza de que outros virão fazer melhor”. Ontem, ele já havia avisado a assessores que sua demissão está próxima.

O que está acontecendo: a possível demissão de Mandetta é motivo de queda de braço entre aliados de Bolsonaro pela indicação do sucessor. O presidente deseja um nome técnico e com respaldo na classe médica, para minimizar a demissão de Mandetta. A falta de consenso estaria postergando a decisão.

Testes de laboratório: o Ministério da Ciência e Tecnologia disse ter identificado remédio com eficácia de 94% contra coronavírus. O nome do medicamento não foi divulgado.

Quadro delicado: o compositor Aldir Blanc, de 73 anos, está internado em estado grave no Rio com suspeita de Covid-19.

Corte liberado: o TRF-3 derrubou liminar que proibia concessionárias de água, luz, gás e telefonia de interromper serviços por inadimplência do consumidor durante a epidemia.

Ativos eleitorais: Donald Trump ordenou que seu nome seja impresso nos cheques de US$ 1.200 a serem entregues a 70 milhões de americanos.
Ação econômica: o G20 aprovou a suspensão até o fim do ano dos pagamentos da dívida dos 25 países mais pobres do mundo.

Balanço: países de todo o mundo já disponibilizaram US$ 8 trilhões em medidas fiscais contra os efeitos da pandemia, afirmou o FMI.

®SISTEMA NATIVA DE COMUNICAÇÃO

© 2009-2020 RÁDIO NATIVA FM 99,5 - Todos Direitos Reservados. IMPERATRIZ-MA

((designer by AEHER))